quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Mais um

Tia Ylza não para a produção de roupinhas infantis. Segundo ela, trabalhar com o tricô a faz manter a cabeça ocupada. Sem o trabalho, ela lembra muito da Tia Leda e sofre bastante. É o luto dela, mesmo que durando quase quatro anos, é a forma que ela supera a ausência da irmã.

O casaquinho que aqui estava incompleto já foi finalizado e ganhou sapatinhos. E já tem destino certo: a neta de um amigo do Paulo, que vai nascer em breve.


E já vem mais sapatinhos por aí:

Três novos modelos

Enquanto isso, ela e eu ficamos esperando o ultrasson da Fabi, pra sabermos quais serão os do(a) meu(minha) mais novo(a) sobrinho(a).