segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Desejo para todos os anos

Tenho um monte de cds de música infantil. Quase todos do meu tempo: Arca de Noé 1 e 2, Casa de Brinquedos, Plunct-Plact-Zum, Saltimbancos, Saltimbancos Trapalhões, Os Trapalhões e o Mágico de Oróz. Junto, tenho uns mais moderninhos e tão legais quanto: Adriana Partimpim (o disco e o show), Pequeno Cidadão, Palavra Cantada. Escuto volta e meia.

Estava viajando pra BH, pra virada do ano, ouvindo o Saltimbancos, disco do Chico Buarque de 1977 e que é muito bacana. Dentre as músicas, tem A cidade ideal, que é quando os personagens, o Jumento, a Galinha, o Cachorro e a Gata começam a conversar sobre como imaginam que é uma cidade. E é a cidade ideal da música que eu queria pra mim, pra todos os anos. Como se fosse um desejo de ano novo.


A cidade ideal
Enriquez - Bardotti - Chico Buarque/1977
Para o musical infantil Os Saltimbancos 
 Cachorro: A cidade ideal dum cachorro
Tem um poste por metro quadrado
Não tem carro, não corro, não morro
E também nunca fico apertado
 Galinha: A cidade ideal da galinha
Tem as ruas cheias de minhoca
A barriga fica tão quentinha
Que transforma o milho em pipoca
 Crianças: Atenção porque nesta cidade
Corre-se a toda velocidade
E atenção que o negócio está preto
Restaurante assando galeto
 Todos: Mas não, mas não
O sonho é meu e eu sonho que
Deve ter alamedas verdes
A cidade dos meus amores
E, quem dera, os moradores
E o prefeito e os varredores
Fossem somente crianças
Deve ter alamedas verdes
A cidade dos meus amores
E, quem dera, os moradores
E o prefeito e os varredores
E os pintores e os vendedores
Fossem somente crianças
 Gata: A cidade ideal de uma gata
É um prato de tripa fresquinha
Tem sardinha num bonde de lata
Tem alcatra no final da linha
 Jumento: Jumento é velho, velho e sabido
E por isso já está prevenido
A cidade é uma estranha senhora
Que hoje sorri e amanhã te devora
 Crianças: Atenção que o jumento é sabido
É melhor ficar bem prevenido
E olha, gata, que a tua pelica
Vai virar uma bela cuíca
 Todos:Mas não, mas não
O sonho é meu e eu sonho que
Deve ter alamedas verdes
A cidade dos meus amores
E, quem dera, os moradores
E o prefeito e os varredores
Fossem somente crianças
Deve ter alamedas verdes
A cidade dos meus amores
E, quem dera, os moradores
E o prefeito e os varredores
E os pintores e os vendedores
As senhoras e os senhores
E os guardas e os inspetores
Fossem somente crianças



Eu sonho que fôssemos somente crianças.