sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Filme - Testemunha de acusação

Witness for the prosecution - 1957 (mais informações aqui)
Baseado na peça de Agatha Christie, com roteiro de Larry Marcus
Direção: Billy Wilder
Elenco: Tyrone Power, Marlene Dietrich, Charles Laughton, Elsa Lanchester

Uma das características do filme é ter um tema bastante sério (um julgamento por assassinato) e a mão brincalhona de Billy Wilder. Logo do começo do filme é possível dar boas risadas com o sisudo Sir Wilfried brincando com o elevador, escondendo charutos e burlando a vigilância de sua enfermeira. Esse clima descontraído perpassa todo o filme.

Enquanto Sir Wilfried tenta, a todo custo, fumar seus charutos, seu escritório de advocacia recebe um novo caso: Leonard Vole é acusado de assassinato. Ele parece muito calmo, enquanto afirma que não é culpado. Só há um álibi: a palavra de sua esposa, Christine Vole. É aqui que começa a tensão.

A composição da personagem tem todos os toques possíveis de frieza. Ela é alemã, casou-se com um inglês e saiu do país devastado pela Segunda Guerra, é uma loura hitchcockiana, bem gelada. E é dessa mulher que depende Leonard. Sir Wilfried decide que ela não irá depor no julgamento. E todos são pegos de surpresa quando ela aparece como testemunha de acusação.

As testemunhas passam, os advogados debatem e a tensão aumenta. Christine Vole depõe, sem perder a pose de inatingível. É um belíssimo trabalho de Marlene Dietrich, uma interpretação limpa, fundamental para o andamento da trama.

Nos créditos finais, uma mensagem dos produtores: pedem ao espectador que não conte o final do filme, para que outras pessoas possam ver e sentir a mesma emoção.