sábado, 11 de dezembro de 2010

Filme: Filhos do Paraíso

Bacheha-Ye aseman - 1997 (mais informações aqui)
Direção: Majid Majidi
Roteiro: Majid Majidi
Elenco: Mohammad Amir Naji, Amir Farrokh Hashemian, Bahare Seddiqi, Nafise Jafar-Mohammadi.

A primeira coisa que se nota no filme é que não há muitos recursos em sua produção. O Irã é um país bem pobre, que não investe em cinema. Apesar disso, conta-se uma bela história, quase uma fábula. Ali, um garoto cheio de responsabilidades, leva o sapato da irmã mais nova, Zahra, para consertar. Também precisa comprar pão e batata e, nesse ínterim, perde a sacola com os sapatos. Vemos, então, uma série de sentimentos pelos olhos de Ali: culpa, preocupação, insegurança, medo, esperança. A busca dos dois irmãos pelos sapatos de Zahra move a história. Enquanto isso, os dois revezam um único par de tênis, que fica grande nos pés da menina, para que seus pais não briguem e nem precisem gastar mais dinheiro.

A casa onde moram tem um enorme chafariz. E é ali, junto às águas e aos peixes, que Ali e Zahra discutem seus conflitos e vivem as alegrias de serem crianças, seja alimentando os peixes, jogando mais água no chafariz ou lavando, juntos, o par de tênis que dividem. A trilha sonora, leve, parece ser criada à base de instrumentos como o xilofone, com sons que nos remetem à infância. Com isso, criam e ampliam a simpatia do espectador com as crianças e sua busca.

O terceiro ato do filme é belíssimo, com sua quase total ausência de diálogos. Enquanto Ali corre para tentar ganhar um novo par de tênis, só ouvimos a trilha bem no fundo e a respiração ofegante do garoto, o esforço que ele faz para conseguir o prêmio que deseja. A largada da corrida, em si, é quase uma São Silvestre infantil. O espectador corre com ele, ultrapassa os oponentes, sua, se esforça, empurra o menino rumo ao seu objetivo. E quase nada é preciso ser dito para a conclusão do filme, que envolve, mais uma vez, o chafariz onde os problemas são, praticamente esquecidos.

Uma pergunta: por que o garoto com a camisa da seleção alemã de futebol derruba Ali? Uma conclusão: as canetas BIC dominam o mundo.

Filhos do Paraíso foi exibido na sessão de dezembro do Cineclube do Museu da Inconfidência, dedicada ao cinema iraniano.