segunda-feira, 11 de outubro de 2010

As mãos dela

Tia Ylza, de quem volta e meia eu falo, é irmã do meu avô materno. Muito cedo, ela aprendeu a fazer tricô. Isso porque meu bisavô morreu cedo demais, em uma época em que não havia nenhum tipo de apoio para a viúva. Pensão é uma coisa muito moderna, perto dessa história. Minha bisavó precisou trabalhar para cuidar dos filhos, e o que ela sabia fazer esa costurar, fazer tricô e crochê. Tia Ylza aprendeu a fazer o primeiro sapatinho de bebê com cerca de oito anos.

Na escola, ela tinha uma disciplina de trabalhos domésticos. Quando a professora passou como dever de casa as alunas apresentarem alguma coisa em tricô, Tia Ylza não teve dúvidas: fez o tal sapatinho que tinha aprendido com a mãe.

A professora, ao ver o material, duvidou que era ela a autora da façanha. Uma criança não teria capacidade de fazer aquilo. A tia insitiu que fora ela mesma quem fez. A professora ordenou, então, que ela repetisse ali, na frente dela. Quebrou a cara, tadinha...

De lá pra cá, Tia Ylza aperfeiçoou a técnica, claro. Além do casaquinho que ela está fazendo pra uma amiga nossa, ela fez também outras peças na última semana:

O sapatinho, par do casaquinho verde
Sapatinho do meu modelo favorito, mas amarelinho
Tia Ylza não gosta de fotos. Mas topa aparecer trabalhando.

Olha as mãos dela aí, fazendo a "canela" do sapatinho, com 4 agulhas