quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Nariz, nariz

Semana passada tive que cauterizar o nariz. O tempo anda seco e eu tenho histórico de sangramentos desde pequena. Contei para Tia Ylza e ela veio com outra história do tempo dela criança.

Meu bisavô era uma pessoa muito forte, mas tinha alguns probleminhas de saúde. Ele morreu muito novo, com os rins estraçalhados - palavras da Tia Ylza. E sempre teve sangramentos no nariz. Ela se lembra dele sentado, com o rosto coberto de sangue, esperando passar. A Tia Leda, já falecida, era bem pequena e herdou do pai a tendência ao sangramento nasal. Volta e meia estava ela no quintal, brincando, quando começava a sangueira. E minha bisavó vinha para ajudar a parar. Colocava até um raminho de erva - não me lembro qual - no nariz da Tia Leda.

E a Tia Ylza ali, vendo a irmã mais nova toda cheia de cuidados, ficava incomodada. O sonho dela era que seu nariz sangrasse também. Mas isso não acontecia com ela...

Do outro lado, minha bisavô dizia: "triste herança..."