sexta-feira, 30 de julho de 2010

A novela da Oi

Dia 23 de junho - quarta-feira

À tarde, tentei ligar pra vovó, mas o telefone só tocava. Liguei pro celular dela, que me informou que o telefone de casa não tinha tocado. Estávamos sem fixo e sem internet. Aí começou a novela com a Oi. Primeiro, foi ligar pra 10331 pra solicitar o reparo da linha. Fui informada de que a previsão era o conserto em 24h, podendo-se estender a até 48h. Ok. No dia 25 de junho, 48h depois, tudo voltou ao normal.

Dia 30 de junho - quarta-feira

A Oi resolveu fazer uma manutenção na rede, durante a manhã. Ficamos sem fixo e sem internet em casa e no trabalho. À tarde, a rua inteira teve o serviço normalizado. Menos lá em casa. Liguei de novo pro 10331 e o papo foi o mesmo: 24h para o conserto, podendo-se estender a até 48h. Dia 2 de julho, sexta-feira, o serviço voltou.

Dia 27 de julho - terça-feira

Vovó usou o telefone fixo por volta das 15h. Depois disso, ele ficou mudo de novo e ficamos mais uma vez sem internet. Nova chamada pro 10331 e a mesma promessa: 24h, podendo-se estender a até 48h. Quando as 48h se esgotaram, ontem (29 de julho), liguei de novo pro 10331. O atendimento eletrônico já me informou que havia um pedido em aberto com previsão de conserto até o dia 2 de agosto, próxima segunda-feira. Deixei a ligação até cair em um atendente. A digníssima pessoa que me atendeu me informou que havia uma manutenção geral na rede. Não, não havia. Trabalho na rua onde moro e sei bem quando tem manutenção geral. Ela me colocou na espera para tentar ver o que acontecia.

Quando voltou, com mais uma história difícil de acreditar (o problema na sua linha é maior do que a Oi imaginava anteriormente, por isso o prazo de conserto se estendeu), falei com ela sobre a dificuldade de ficar sem telefone. Tenho uma pessoa idosa em casa. Qualquer coisa que aconteça com ela, eu só vou saber se alguém me ligar. Ou seja, é fundamental ter o telefone em casa. A nossa sorte é nunca ter contratado a tal Oi Conta Total, em que os celulares ficam vinculados. Porque, pelo menos, eu tenho a segurança da Vivo, que ainda não falhou. A atendente resolveu me passar para o atendimento prioritário.

Mais uma vez lá vou eu contar a história toda. A mocinha estava enfezadinha. Peraí, moça, eu não escolhi falar com você. Foi a Oi quem te escolheu pra me atender e pra resolver meu problema, certo?

Contabilizando, estamos com cerca de nove dias sem fixo e sem internet em casa, em pouco mais de um mês. As ligações não feitas nesse período não serão cobradas, mas e a internet, que pagamos - bem caro - mensalmente?

Todo mundo sabe que a rede de Ouro Preto não é a melhor do mundo. Mas padecemos de um mal maior aqui. A falta de concorrência. Só temos a Oi. Ficamos reféns da falta de investimento, do descaso, do serviço ruim e do péssimo atendimento.