quinta-feira, 17 de junho de 2010

Em tempos de futebol

Comeeeeeeça o jogo!

Haja coração! O Afrodite Futebol Clube enfrenta o Itajubense em mais uma tarde de sol em Ouro Preto!

Nos idos de 1920/1930, três quintais sem muro na rua São José serviam de campo de futebol par o enfrentamento clássico entre as duas equipes. O garoto mais velho, mais tarde conhecido como o senhor meu avô, fez as traves de madeira e demarcou o gramado.

O Afrodite Futebol Clube era formado por Yen, Adelayde, Lyad, Rymla e Ridlav (os nome dos jogadores eram ao contrário: Ney, Edyaleda, Dayl e Almyr, meus tios, e o amigo deles, Valdir).

O time adversário, Itajubense, tinha os jogadores Cássio, Nico e Paulo Neves (meus tios Ymar, Ylza e Yvan, respectivamente, em homenageando três craques do Torpedo Futebol Clube, formado por estudantes de Ouro Preto - Cássio veio a ser, depois, o engenheiro Cássio Lanari e Paulo Neves é de uma tradicional família local).

Com dois jogadores a mais, o Afrodite Futebol Clube deveria fazer a festa no campinho. Que nada... o Itajubense sempre ganhava as partidas.

Hoje, só a tia Ylza e o amigo dela, o Valdir, estão vivos para contar essa história.