domingo, 23 de agosto de 2009

Excessos

Desde sexta-feira eu vejo falar de Raul Seixas. Há 20 anos ele morreu. Nessa época, eu morava em São Luis do Maranhão. Foi um auê a morte. Lembro de ter até ficado irritada com o tanto que se falou dele.

Não gosto muito desses ídolos unânimes. Até gosto de algumas músicas do Raul, mas me dá preguiça essa idolatria. Daí que um dia eu descobri o Pedra Letícia, uma banda de Goiás que "traduziu" um pouco do que eu penso sobre os ídolos. O vídeo mais interessante com a música está no youtube. Tem o de Buddy poke também.

Então... aí vai. Reitero: não tenho nada contra o Raul, só contra a idolatria.

Eu não toco Raul

Em todo bar que a gente vai tocar
Tem sempre lá no canto um cara com a barba por fazer
E a camiseta com a cara do Chê,
Um buraquinho nela onde havia a estrelinha do PT
A namorada dele você vê,
Batinha indiana, coturno, bermuda saint-tropez
Pede um papelzinho pra escrever
Tira uma caneta de dentro da bolsa de crochê
Rabisca um guardanapo com a bic azul
Escreve um bilhetinho assim: "Toca Raul!"

(Refrão)Eu não toco Raul
cês me desculpem.
Eu acredito quando você diz que ele é legal
Eu não toco Raul
cês não me culpem
A banda preza pelo estilo Sidney Magal

E aquele alquimista nada a ver
Viagens num diário de um mago, mais falso que um Menudo
Essa idolatria por Raul, parece aquela velha opinião formada sobre tudo
Não adianta implorar pro seu guru.
Não adianta esbravejar: "Toca Raul!"

(Refrão)Eu não toco Raul
cês me desculpem..
Eu acredito quando você diz que ele é legal
Eu não toco Raul
cês não me culpem
A banda preza pelo estilo Sidney Magal

Mas quando eu virar um astro,
Com a minha guitarra e uma prancha do lado,
Eu quero ouvir você gritar num bar: Toca Pedra Letícia!!

(Refrão)Eu não toco Raul
cês me desculpem..
Eu acredito quando você diz que ele é legal
Eu não toco Raul
cês não me culpem
A banda preza pelo estilo Sidney Magal.
Eu não toco Raulcês me desculpem, é queEu não toco Raul cês não me culpem